Reforma da Previdência pode levar idosos para linha da miséria, diz Haddad

O alerta foi dito durante encontro do ex-candidato à presidência da República com movimentos sociais na sede da CUT Ceará, em Fortaleza/CE

Publicado: 15 Fevereiro, 2019 – 17h13 | Última modificação: 15 Fevereiro, 2019 – 17h20

Escrito por: Tarcísio Aquino/CUT-CE

Buscando a retomada do diálogo com as bases da sociedade, o ex-candidato à presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, conversou com os movimentos sociais, na manhã desta sexta-feira (15/2), na sede da CUT Ceará, em Fortaleza. O encontro foi organizado pela Frente Brasil Popular Ceará e reuniu mais de 100 representantes de movimentos da capital e do interior. 

“Nós temos que recuperar a capacidade de dialogo. O Lula, das muitas coisas que ele nos ensinou, foi a de saber ouvir o povo. Precisamos voltar pra comunidade, pro local de trabalho, para a fábrica, enfim, recuperar o jeito de conversar com o nosso povo”, disse Fernando Haddad aos presentes. 

Reforma da Previdência

O presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, destacou as principais lutas que serão enfrentadas pelos movimentos sociais no primeiro semestre de 2019 e convocou os presentes para a Tribuna Livre em defesa da Previdência e contra o fim da aposentadoria, que será realizada dia 20/2, próxima quarta-feira, na Praça do Ferreira.

“Temos que lotar as ruas para dizer que essa reforma da Previdência não nos representa. A derrota dessa reforma, que é pior do que a de Temer fortalecerá a nossa resistência”, disse Wil.

Tarcísio Aquino/CUT-CE

Tarcísio Aquino/CUT-CE

Fernando Haddad também reforçou a importância da organização do povo e dos movimentos sindicais na luta contra reforma da Previdência que será apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) e se colocou à disposição pra ir às ruas. “Nós temos o desafio das ruas, pois a reforma que ele [Bolsonaro] quer fazer tem por objetivo manter os privilégios dos grandes e piorar a aposentadoria do trabalhador. Se essa reforma for aprovada, poderemos ter no futuro uma população idosa viva, mas na linha da pobreza”, finalizou Haddad.

Presenças

Estiveram presentes na atividade a CUT, PT, PCdoB, Marcha Mundial das Mulheres, MAB, MST, MTD, Quilombolas, PJMP, Comunidades Eclesiais de Base, Fetamce, Sindjorce, Fetraece, Fetrace, Povos de Terreiro, Levante, UJS, UNE, UBES, Kizomba, JPT, Núcleo Popular, CTB, Pastoral dos Pescadores, ABJD, Movimento de Pessoas com Deficiência, Comunicadores pela Democracia, Consulta Popular, Fórum LGBT, além de ativistas da cultura e dos direitos humanos.

Tarcísio Aquino

Tarcísio Aquino

Agenda

Haddad participa ainda, nesta sexta-feira, do seminário “O Brasil que saiu das urnas”, às 18h, no auditório do Hotel Oásis Atlântico Fortaleza, na Avenida Beira Mar.

Com informações do PT Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *